ACREDITE: A PALAVRA "HETEROSSEXUAL" ENCONTRA-SE EM EXTINÇÃO NAS LÍNGUAS DE TODO O MUNDO.

Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, ACREDITE: A PALAVRA "HETEROSSEXUAL" ENCONTRA-SE EM EXTINÇÃO NAS LÍNGUAS DE TODO O MUNDO.

E NÃO É SÓ ISSO: OS CONCEITOS HETEROSSEXUAIS, DE UM MODO GERAL, ESTÃO CADA VEZ MAIS SENDO EMPURRADOS PARA UMA ESPÉCIE DE LIMBO CULTURAL!

Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, ACREDITE: A PALAVRA "HETEROSSEXUAL" ENCONTRA-SE EM EXTINÇÃO NAS LÍNGUAS DE TODO O MUNDO.

Agora, os heterossexuais estão no armário

27 novembro, 2008

por Henry Makow Ph.D. 

(De outubro 2004 atualizado 27 de novembro de 2008) 

Embora 97% da população não seja gay, há relativamente pouco apoio cultural para instituições heterossexuais (família, maternidade, paternidade); papéis heterossexuais (masculinidade e feminilidade); e eventos da vida heterossexual (namoro, casamento, nascimento e criação dos filhos.).

Embora a construção de uma família forte seja, provavelmente, o propósito da vida e chave da felicidade para a maioria, este conhecimento tem sido mantido em segredo. Milhões de dólares são gastos para fazer as mulheres descobrirem sua vocação profissional, mas nem um centavo para se tornarem mães. Pelo contrário, as mulheres que dedicam suas vidas à família são criticadas.

Se você pesquisar "heterossexual" no Google, receberá 16 milhões de citações. Agora, experimente procurar por "homossexual" e receberá mais de 20 milhões de citações, o que chega a ser assombroso se considerarmos que se trata de um grupo composto por apenas 3% da população ("Lésbica" atinge 10 milhões de citações.).

Por pessoa, "homossexual" recebeu 100 vezes mais acessos em suas citações do que "heterossexual". "Homossexualidade (10,7 milhões de citações)” tem cerca de 11 vezes as visualizações de "heterossexualidade (990.000)”. Por pessoa, a homossexualidade tem 3500 vezes mais acessos do que heterossexualidade.

O fato de a palavra "heterossexualidade" estar em desuso é uma ilustração chocante do vácuo cultural que a maioria não-gay habita. Nosso status de maioria não explica tamanho "déficit". Em termos de apoio cultural, os não-gays encontram-se abatidos ou, como vou sugerir a seguir, envenenados.

Outro exemplo: há 21 vezes mais a presença em nossos livros de sebos ​​contendo a palavra "homossexualidade" do que "heterossexualidade" (24233-1154). Por capítulo, isso significa que existem 6.750 referências à homossexualidade para cada referência à heterossexualidade.

Os heterossexuais estão sendo vítimas de uma lavagem cerebral extremamente sutil e subliminar que pretende levá-los a não mais escandalizarem-se com a prática homossexual, e sim enxergá-la feito a coisa mais natural do mundo. Há exceções, mas em geral o estilo de vida e as práticas heterossexuais não são mais comemorados. Em vez disso, eles são retratados de uma forma preconceituosa e caricata. 

Por outro lado, o comportamento homossexual é glamourizado e estimulado entre as novas gerações.O clip de Kate Perry intitulado "I Kissed a Girl" tem mais de um milhão de visualizações no Youtube.  

Certamente o sexo, de um modo geral, vem sendo cada vez mais banalizado na sociedade. Contudo, em se tratando dos homossexuais, nunca foi segredo algum que os níveis de promiscuidade e falta de comprometimento na relação inegavelmente são muito maiores. Desse modo, ao  analisarmos o comportamento heterossexual moderno, de uma certa maneira; vemos que os heterossexuais estão sendo transformados em homossexuais no sentido de seguirem à esta tendência diabólica tornando-se incapazes de estabelecer um vínculo sólido e permanente com o sexo oposto(uma homossexualidade indireta ou “por tabela”.). 

Heterossexualidade é a base do ciclo de vida natural; não é uma "preferência sexual". Não-gays, especialmente as mulheres, são naturalmente monogâmicos porque, em última análise, a heterossexualidade é sobre procriação. 

Normas e instituições heterossexuais são rotineiramente ridicularizadas e ofendidas nos meios de comunicação em massa.

Por exemplo, na cena de abertura do filme de sucesso, American Pie 3- O Casamento, que se destina a adolescentes impressionáveis, a futura noiva realiza sexo oral no noivo escondida debaixo de uma mesa em um restaurante lotado.

Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, ACREDITE: A PALAVRA "HETEROSSEXUAL" ENCONTRA-SE EM EXTINÇÃO NAS LÍNGUAS DE TODO O MUNDO.

Na recepção de casamento, um amigo indisciplinado do noivo acidentalmente faz sexo com a avó do noivo num armário escuro. Ele pensou que estava transando com a irmã da noiva. A avó, por sua vez, fica tão contente que deixa de ser contra o casamento de seu neto. Na cena final, um outro amigo faz carícias na mãe do amigo rebelde em pleno banho de espuma.

Este assalto cultural em normas heterossexuais faz parte de um programa a longo prazo realizado pela elite financeira judaica maçônica para diminuir a população, destruir a família e desestabilizar a sociedade.

“Viagem na maionese”, você disse?

A Fundação Rockefeller está financiando esta campanha. Digite no Google "Rockefeller Foundation" e "Estudos sobre as Mulheres" e você receberá 136 mil referências, todas contendo muito apoio e reconhecimento. Digite RF e "homossexual" e você receberá 221 mil referências. Digite RF e "heterossexual" e você terá apenas 11.700 referências, das quais a maioria se dá em relação à promoção do homossexualismo.

A Fundação Rockefeller está na vanguarda dos esforços da elite global para criar uma raça de escravos. Durante quase um século, ela financiou a pesquisa e o lobby dos projetos de controle da população (a pílula, o aborto), do sexo avesso à procriação (por exemplo, a "Revolução Sexual", do famigerado relatório Kinsey) e da destruição da família nuclear.

Ele financiou o movimento eugênico no mundo inteiro, incluindo as experiências do Dr. Josef Mengele em prisioneiros de campos de concentração ao vivo. É o mesmo tipo de gente que vem promovendo, por exemplo, o feminismo.

A agenda da Fundação Rockefeller é refletida no governo, educação e meios de comunicação. Não importa em qual partido você vota, que rede de TV você assiste ou em qual universidade você estuda. A agenda é a mesma: a Nova Ordem Mundial, o fascismo não tão amigável executado por um cartel com sede em Londres e sua filial de Nova York.

Tenho escrito mais de duas dezenas de artigos sobre como a heterossexualidade funciona. Eles tem tido bastante repercussão. Concordando comigo ou não, o fato é que eu nunca tive uma única entrevista ou chance de falar na grande mídia. Isso simplesmente mostra que a nossa sociedade "livre e aberta" é uma fraude. Temos a liberdade de expressão, mas ser ouvido já é uma outra história.

É um equívoco pensar que o comunismo está morto. O comunismo sempre foi e ainda é um instrumento da Nova Ordem Mundial. 

O comunismo assume muitas formas, todas concebidas para alavancar a meta do cartel de bancos centrais por infiltração e subversão da cultura e das instituições ocidentais. O feminismo, por exemplo, foi projetado pelo comunismo para destruir a família criando assim pessoas dóceis e fáceis de se manipular.

"Estudos sobre as Mulheres", que se originaram nas Escolas de Formação Comunista, são dedicados à doutrinação e castração psicológica das mulheres jovens na universidade. Neles, elas aprendem que os homens ("o patriarcado") são a causa dos problemas do mundo. Os papéis de gênero e família são invenções sociais que oprimem as mulheres. Assim, elas dedicam anos preciosos de fertilidade para iniciar uma carreira profissional ao invés de uma família.

A partir dos "Estudos da Mulher", militantes feministas se espalham por todas as esferas da sociedade atuando como "agentes de mudança" e verdadeiras “comissárias-Rockefeller”. Elas exigem que o registro civil seja reformulado com base na política dos decretos feministas.

Fui expulso da Universidade de Winnipeg por expor o trabalho de D.H.Lawrence, um heterossexual inconsequente. Enquanto isso, dois professores que exibiam filme pornô lésbico para meninas do Ensino Médio na escola de verão as ensinavam(e ainda estão ensinando.) a usar abobrinha para satisfazer suas necessidades sexuais.

Recomendo o livro do Dr. Charles Socarides "Homossexualidade: A Liberdade indo Longe Demais" para compreender a verdadeira natureza da homossexualidade e da campanha insidiosa para assegurar a sua generalização. Como psiquiatra, ele tratou os homossexuais por 40 anos. 

O grito de "igualdade", "tolerância" e "diversidade" é o método dissimulado clássico da elite judaica-comunista-maçônica para subverter a sociedade. Eles defendem algumas minorias retratando-as como vítimas da sociedade. Eles dividem para conquistar, colocando seus agentes minoritários no poder. Eles chamam isso de "progresso" quando, na verdade, é a desintegração social e a tirania.

Sua pretensão de "igualdade social" é desmentida pelo fato de que seus protegidos superam, individualmente em muito, qualquer outra pessoa. Trata-se de poder, e não de justiça.

No contexto atual, a chamada "tolerância", em outras palavras, deve ser interpretada como: “não-gays devem abraçar o comportamento homossexual”. Isso também é visto em sua tentativa de forçar as escolas a adotar valores gayzistas.

Os que resistem à essa tendência satânica são normalmente acusados ​​de "ódio" e "intolerância". Há uma clara distinção entre odiar os homossexuais e aceitar as diferenças sem rancor, sem querer adotar essas diferenças para si próprio, sem querer ver nossa sociedade subvertida.

O ataque aos heterossexuais prossegue na demanda por casamentos do mesmo sexo, que visa na verdade redefinir e destruir o conceito original de casamento.  

Adoções gays são crimes contra a natureza. Crianças heterossexuais precisam de modelos heterossexuais. Assim é a política do Big Brother: permitir que gays orientem crianças órfãs. Eles não querem mais permitir que homens heterossexuais eduquem adolescentes.

A homossexualidade é um transtorno do desenvolvimento. A política da elite é usá-lo para subverter a heterossexualidade. 

Em conclusão, nossos líderes políticos e culturais são homens vendidos e fraudulentos que adotaram um desejo de morte coletiva para a sociedade. Eles pensam que se venderam às "corporações". Entretanto, as empresas na sua maioria pertencem a um cartel de bloqueio. Isto é controlado por pessoas que realmente acreditam no ocultismo. Sua agenda é subverter a civilização ocidental e criar uma ditadura mundial dedicada a Lúcifer.

A promoção da homossexualidade é projetada para nos enfraquecer, por isso devemos resistir à essa tirania. Isso está por trás da falta de apoio cultural para os heterossexuais.

Vivemos num mundo onde só as minorias têm identidade para minar os interesses coletivos da maioria. Nos Protocolos dos Sábios de Sião, o autor escreve: "vamos minar todas as forças coletivas exceto a nossa." 

Podemos resistir ao reafirmar a família tradicional e os elementos necessários para torná-la forte. O ingrediente mais importante para isso é a força de uma liderança masculina responsável aliada à uma sábia e amorosa colaboração feminina.

Henry Makow (tradução e edição: Buck Williams.).

Fonte: http://www.henrymakow.com/

Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, ACREDITE: A PALAVRA "HETEROSSEXUAL" ENCONTRA-SE EM EXTINÇÃO NAS LÍNGUAS DE TODO O MUNDO.

COMENTÁRIO DE BUCK WILLIAMS: conheço uma pessoa que trabalha com visitas domiciliares onde realiza coleta de dados que me confirmou exatamente o que Henry Makow disse na matéria acima: todos sabem o que significa "homossexual (até crianças.)", porém poucas pessoas não-gays conseguem responder convictamente que são heterossexuais, pois não sabem o que significa a palavra "heterossexual". 

sábado 19 julho 2014 07:47 , em CONSPIRAÇÃO SODOMITA


A MANIPULAÇÃO MAÇÔNICA- FATO 13

 
Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, A MANIPULAÇÃO MAÇÔNICA- FATO 13

 FATO 13 - A NEGAÇÃO DA DIVINDADE DE JESUS CRISTO.

GADU não tem filho, por isso a maçonaria diz que Jesus é apenas um homem como Moisés, Buda, Maomé, Confúcio, etc . Portanto GADU não é ADONAi, pai de Jesus Cristo.  Não é simples para os escolhidos de Deus?

 

O ensino da Maçonaria sobre Jesus Cristo cumpre a definição bíblica do ANTICRISTO.  Ensina que JESUS CRISTO NÃO É ÚNICO (Morals and Dogma -pg 539, 563, 567 e 576,  Vigésimo Sexto Grau).  A DIVINDADE DE JESUS É NEGADA também no grau 26, na página 525: A maçonaria reverencia todos os grandes reformadores filosóficos e religiosos. Vê em MOISÉS, o legislador dos judeus, em CONFÚCIO e ZOROASTRO, em JESUS DE NAZARÉ e no iconoclasta árabe MAOMÉ grandes instrutores de moralidade e reformadores eminentes, ou mais ainda; e permita a cada irmão da ordem ATRIBUIR a CADA UM DELES CARACTERÍSTICAS MAIS ELEVADAS E ATÉ MESMO DIVINAS, CONFORME SEU CREDO E VERDADES DEMANDEM.

A divindade de Cristo é redefinida, se não negada por algumas autoridades, por exemplo Rizzardo da Camino AFIRMA A DIVINIZAÇÃO DO HOMEM, e define Cristo como a denominação de um “estado de alma” que se encontra na parte espiritual do ser humano. Jesus teria atingido este grau na cruz.  (Maçonaria e Fé Cristã    John Scott Horrell pág 80)

Embora as reuniões maçônicas incluam a oração, é absolutamente proibido orar no nome de Jesus. (Maçonaria e Fé Cristã    John Scott Horrell  pág 79)

James Shaw, ex-maçom do grau 33, quando era orador  da Cerimônia do Cavaleiro Rosa-Cruz (grau 18) praticada na quinta feira santa com todos vestidos de mantos pretos e encapuzados, depois de negar a divindade de Jesus, declarava: “Ele está morto! Lamentai, pranteai e chorai, pois ele se foi”. Logo a seguir apagava a última vela e a profana reunião termina em completa escuridão  (Maçonaria e Fé Cristã  -  John Scott Horrell  pág 81-82).

Está escrito - João 14: 6 Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.

Está escrito - I João 4: 1-2  Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora. Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;  e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo.

Está Escrito - João 1:11-14  (Jesus) Veio para o que era seu (Judeus), e os seus (Judeus) não o receberam. Mas, a TODOS quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos FILHOS DE DEUS, a saber, aos que crêem no seu nome;

os quais não nasceram DO SANGUE,
nem da vontade DA CARNE,
nem da vontade DO HOMEM,
mas da VONTADE DE DEUS

E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de GRAÇA e de VERDADE, e vimos a sua glória, glória como do UNIGÊNITO DO PAI.

Está escrito Efésios 6:6  não servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, A VONTADE DE DEUS.  (Jesus Cristo é a vontade de Deus, mas não é a de GADU)

Jesus Cristo é Deus, Filho de Deus,  fruto da VONTADE DE DEUS SEU PAI, enviado por Deus. Todo este privilégio é extensivo aos que receberam Jesus como filho de Deus. Não é extensivo aos  que o receberam como filósofo, religioso, reformador ou homem. Realmente Jesus Cristo e a Igreja de Cristo, não tem nada a ver com a maçonaria, por isso ela tem que continuar negando Jesus Cristo.

Está escrito - Mateus 21: 42   Perguntou-lhes Jesus: Nunca lestes nas Escrituras:  A PEDRA que os construtores (maçons = construtores) rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular; isto procede do Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos?

símbolo da Nova Ordem Mundial

A definição de Deus: Deus é AMOR. Está escrito I João 4: 8 Aquele que não ama não conhece a Deus, pois DEUS É AMOR. No versículo 10 esse AMOR, é revelado como o PAI de JESUS CRISTO. Está escrito I João 4: 10 NISTO CONSISTE O AMOR: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.

Portanto, o deus das sociedades secretas, GADU, não é AMOR, pois não é o pai de Jesus Cristo. Este é o conceito dentro da Palavra de Deus, aceito pela IGREJA DE CRISTO.

Respeitamos os conceitos de todas religiões, mas essa de GADU não dá para engolir,  pois é completamente INCOMPATÍVEL  com a IGREJA DE CRISTO. FATOS simples e importantes explicam a obrigatoriedade  da NEGAÇÃO DA DIVINDADE DE JESUS PELA MAÇONARIA. TÁ EXPLICADO!

Por isso é incompatível servir a dois senhores distintos. Há de se agradar um e odiar o outro. Nós agradamos ADONAI, O DEUS DE ABRAÃO, ISAQUE E JACÓ,  O PAI DE JESUS CRISTO.

Está Escrito - 1 Reis 18:21  Então, Elias se chegou a todo o povo e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu.  (e hoje ainda continua sem nada responder, incrível, ainda têm dúvidas a quem seguir).

Visitem o site www.espada.eti.br/ce1077.asp   e leiam: Sociedades Secretas Mataram o Senhor Jesus Cristo - Parte 1 e Parte 2.

Os rosacruzes (Antiga e Mística Ordem Rosa Cruz) em seu livro A Ordem Rosa Cruz em Perguntas e Respostas (perguntas 3,34,52,137) afirmam ser uma sociedade secreta, que não são uma religião, mas que adoram GADU além de dizerem que Jesus não é Deus e nem filho de Deus, e ainda de não acreditarem no inferno e nem no diabo.

FONTE: http://www.simceros.com.br/

domingo 13 julho 2014 03:39 , em INTRODUÇÃO À NOVA ORDEM MUNDIAL


DESVENDANDO BIBLICAMENTE A REAL FINALIDADE DO DOM DE LÍNGUAS

Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, DESVENDANDO BIBLICAMENTE A REAL FINALIDADE DO DOM DE LÍNGUAS

LÍNGUAS FORAM UM SINAL PARA ISRAEL DESCRENTE


David Cloud

Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, DESVENDANDO BIBLICAMENTE A REAL FINALIDADE DO DOM DE LÍNGUAS

 






O que segue foi extraído do livro “
THE PENTECOSTAL CHARISMATIC MOVEMENTS” (OS MOVIMENTOS CARISMÁTICOS PENTECOSTAIS) por David Cloud

Uma verdade fundamental sobre as línguas bíblicas é que foram essencialmente um sinal para Israel que Deus estava entendendo o evangelho a todas as nações. Paulo deixou isto claro em suas instruções à igreja de Corinto:
 

“20  Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento. 21 ¶  Está escrito na lei: Por gente de outras línguas, e por outros lábios, falarei a este povo; e ainda assim me não ouvirão, diz o Senhor. 22  De sorte que as línguas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis; e a profecia não é sinal para os infiéis, mas para os fiéis.” (1Co 14:20-22 ACF)
 
 Os coríntios estavam abusando dos dons espirituais e estavam especialmente enamorados das línguas. Como crianças espirituais (1 Cor. 3:1), eles estavam “se exibindo” uns aos outros. Paulo lhes diz para pararem de ser crianças e serem homens, entendendo o verdadeiro propósito das línguas. Elas eram um cumprimento da profecia em Isaías 28: 11-12 dirigida aos judeus.

 “Pelo que, por lábios gaguejantes e por língua estranha falará o Senhor, a este povo, ao qual ele disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério; mas não quiseram ouvir” (Is.28: 11-12)
 
As línguas ou linguagens miraculosas eram um sinal aos judeus descrentes [isto é, judeus perdidos que não creram nem receberam Jesus como o prometido Messias, o Cristo, o Salvador- Senhor- Deus deles; e judeus que creram e foram salvos, mas que não criam que Deus salvaria gentios e os uniria a eles formando uma nova coisa completamente distinta de Israel, isto é, edificaria milhares de igrejas locais, onde ex-judeus e ex-gentios deixariam para trás o que foram e passariam a ser “simplesmente” cristãos, todos iguais]. Eram um sinal que Deus estava falando a todas as nações e chamando todos os homens a um novo corpo spiritual composto de judeus e gentios. “Este povo” se refere à nação judaica a quem o profeta Isaías estava falando.

Cada vez que vemos o dom de línguas exercido no livro de Atos vemos que os judeus estavam presentes (Atos 2:6-11; 10:46; 19:6). No dia de Pentecostes e em Atos 19 eram os próprios judeus quem falavam em línguas.

“6  E, quando aquele som ocorreu, ajuntou-se uma multidão, e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua. 7  E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois quê! não são galileus todos esses homens que estão falando? 8  Como, pois, os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos? 9  Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia, 10  E Frígia e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus como prosélitos, 11  Cretenses e árabes, todos nós temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus.” (At 2:6-11 ACF)

 “Porque os ouviam falar línguas, e magnificar a Deus.” (At 10:46 ACF) a
Aqui, judeus salvos que tinham acompanhado Paulo, surpreenderam-se pelo fato de Cornélio e seus parentes, gentios, que haviam crido e sido salvos, miraculosamente falaram idiomas de outras nações, sem nunca os ter estudado.
 
“E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas, e profetizavam.” (At 19:6 ACF)

Aqui, Apolo encontrou judeus (de nascimento ou prosélitos) em Éfeso, que tinham viajado para Israel e sido batizados por João Batista, tinham crido nele, tornaram-se discípulos dele, mas ainda esperavam pelo Messias, não sabiam de Jesus. Apolo pregou o evangelho, eles foram salvos e miraculosamente falaram idiomas de outras nações, sem nunca os ter estudado. Falaram diante deles mesmos, judeus (de nascimento ou prosélitos)

Fernand Legrand, um antigo Pentecostal, faz a seguinte observação importante: 

 
“15  Os quais também mataram o SENHOR Jesus e os seus próprios profetas, e nos têm perseguido; e não agradam a Deus, e são contrários a todos os homens, 16  E nos impedem de pregar aos gentios as palavras da salvação, a fim de encherem sempre a medida de seus pecados; mas a ira de Deus caiu sobre eles até ao fim.” (1Ts 2:15-16 ACF)
 
... A ideia de serem transformados unidos em um só corpo com os estrangeiros era mais do que os judeus do primeiro século podiam aguentar. Só o pensar nisso era suficiente para queimar o atavismo hebraico. E ainda era a primeira coisa que tinham que entender e finalmente admitir. Assim Deus lhes deu o melhor sinal possível para fazê-los entender o que eles não podiam ou não iriam acreditar; MIRACULOSAMENTE ELE FEZ OS JUDEUS FALAREM NAS LÍNGUAS DOS ESTRANGEIROS. FAZENDO-O, DEUS FEZ OS JUDEUS ORAREM NESSAS LÍNGUAS PAGÃS…

“Uma simples mas atenta leitura da Bíblia revela o cenário da feroz oposição judaica a tudo que não fosse especificamente judaico. Vemos Jonas que odeia os homens de Nínive ao ponto de desobedecer a Deus… Em sua frustração ele vai ao ponto de pedir sua própria morte. Se Nínive vive, Jonas tem que morrer! …Este espírito de oposição e descrença só seria reforçado através dos séculos. Os judeus pertencem a Iavé e Iavé a eles, num círculo fechado de intolerância; todos fora desse círculo são amaldiçoados …


“Ousar sugerir que as pessoas com uma língua diferente de sua própria poderiam se beneficiar da bondade de Deus, era arriscar a própria vida. Eles levaram Jesus ao topo de um monte para jogá-Lo lá de cima porque Ele acabara de dizer: ‘muitas viúvas estavam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se fechou por três anos e seis meses, quando grande fome se espalhou por toda a terra; mas a nenhuma delas Elias foi enviado, somente a Sarepta, uma cidade de Sidon, a uma mulher viúva.’ Jesus acrescentou, para imensa raiva deles: ‘
E muitos leprosos estavam em Israel em nome de Eliseu , o profeta e nenhum deles foi limpo, a não ser Naamã, o Sírio’ (Lc 4:25-27). Isto era, a seus olhos, mais que suficiente para merecer morrer…

Que narrativa em Atos 22! O prisioneiro Paulo está nos degraus da Fortaleza. Ele faz sinal à multidão com uma mão e pede para falar. Quando se dirige à multidão em hebraico, o silêncio cai sobre a multidão… Mas [quando ele chega a um ponto em sua defesa] no mesmo momento em que ele começa [a dizer], ‘
E disse-me: Vai, porque hei de enviar-te aos gentios de longe.’ A frase congelou no ar. Eles ouviram até a palavra gentios (ou nações); e sacudiram poeira no ar, gritando: ‘Tira da terra um tal homem, porque não convém que viva.’ O que os fez explodirem assim? Simplesmente a ideia de que Deus poderia ser Deus de todo homem, de toda língua. Fica mais fácil entender por que falar em línguas é o sinal desta grande verdade e que ‘para essa gente’ era o meio de acesso a isto…
 
“Eles tinham que ser convencidos a abandonar esta descrença e a não mais considerar impuras as pessoas e as linguagens que Deus considerava puros, linguagens puras o bastante para serem faladas pelo Seu Santo Espírito … Este sinal em línguas estrangeiras, como a tripla visão de Pedro, lhes ensinou que a salvação era para ‘quem quer que fosse’, para ‘toda carne’, para ‘toda língua’…


“Mas QUEM na Igreja de hoje composta de pessoas, tribos, nações e linguagens, QUEM ainda precisa ser convencido por um repetido sinal de que o Espírito de Deus é distribuído ao todos os povos, nações, tribos e linguagens?” 
(Legrand – All about Speaking in Tongues (Tudo sobre Falar em Línguas), pgs.24-27, 33). 

É impossível se ter uma doutrina correta sobre línguas sem entender que isto era para a nação de Israel, e lhes era um sinal das coisas novas que Deus estava fazendo, que era estender o evangelho a todos os homens e juntar os judeus e gentios em um novo corpo espiritual. 

A necessidade de tal sinal cessou inteiramente no primeiro século. Por volta de 70 DC, Jerusalém foi destruída pelos exércitos romanos liderados por Tito e os judeus foram espalhados pelas nações. Então, os gentios vieram a Jesus em dez milhares e as igrejas gentílicas foram estabelecidas por todo o Império Romano O propósito do dom de línguas como um sinal para a nação de Israel tinha terminado. Israel rejeitou o sinal e foi julgada como o profeta antecipou. 
 
“11  Assim por lábios gaguejantes, e por outra língua, falará a este povo. 12  Ao qual disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério; porém não quiseram ouvir. 13  Assim, pois, a palavra do SENHOR lhes será mandamento sobre mandamento, mandamento sobre mandamento, regra sobre regra, regra sobre regra, um pouco aqui, um pouco ali; para que vão, e caiam para trás, e se quebrantem e se enlacem, e sejam presos.” (Is 28:11-13 ACF)
 
Isaias não só profetizou que Deus daria o sinal de línguas a Israel mas também profetizou que Israel rejeitaria e seria julgada, exatamente o que ocorreu.

Em 1 Coríntios 13, Paulo ensinou à igreja de Corintos que o dom de línguas cessaria: 
 
“8 ¶  O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 9  Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; 10  Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.” (1Co 13:8-10 ACF)
 
 Esta passagem fala sobre os dons revelatórios de profecia, línguas e conhecimento. Não é o próprio conhecimento que cessará; é o dom do conhecimento. Não são as línguas que cessarão; é o dom de línguas.

Quando esses dons cessarão? A passagem indica que eles cessarão em dois estágios. O dom de línguas é tratado separadamente dos dons de profecia e conhecimento. O dom de línguas é mencionado no verso 8 e não é novamente mencionado, enquanto os dons de profecia e conhecimento são mencionados novamente nos versículos 9-10. Acredito que isto ensina que o dom de línguas cessaria por si próprio antes de cessar os outros dois dons. Podemos ver isto o Livro de Atos. A última vez em que vemos as línguas serem faladas está em Atos 19. Naquele momento na história da Igreja não se questionava que Deus estava chamando os gentios através do evangelho. Aquele assunto estava claro como cristal.

Quando um sinal cumpriu seu papel seria tolo continuar com ele. Se eu tivesse que dizer a alguém que vai me encontrar no aeroporto que ele me conhecerá porque estarei usando um chapéu vermelho, o chapéu vermelho é o sinal. Quando nos encontramos e ele me reconheceu pelo sinal do chapéu, a necessidade do sinal cessa. Usar um chapéu vermelho pelo resto de minha vida é tolice.
 

Assim, o dom de línguas cessou até mesmo antes dos eventos registrados na conclusão do Livro de Atos, mas os dons da profecia e conhecimento continuaram a operar até que “aquilo que é perfeito venha”, que seria o cânon completo das Escrituras. 2 Timóteo 3: 16-17 diz que as Escrituras são capazes de fazer com que “o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra”
” Os dons da profecia e do conhecimento foram usados pelos profetas e apóstolos para completar as Escrituras e então eles sumiram. O último livro das Escrituras  a ser escrito foi o Apocalipse. João o escreveu em idade muito avançada em torno de 96 dC na Ilha de Patmos e o concluiu com uma advertência solene de Deus para não se acrescentar ou retirar nada das “
palavras da profecia deste livro” (Ap 22:18-19). Isto se aplica não apenas ao próprio livro do Apocalipse mas também a todo o Livro do qual Apocalipse forma o capítulo final.

Esta doutrina bíblica clara sobre as línguas refuta sozinha todo o moderno falar em línguas. Quando os alunos da Escola Bíblica Charles Parham começaram a falar em “línguas” em 1901 ou quando as línguas surgiram na Rua Azuza em 1906, os judeus estavam presentes? Se os judeus estavam presentes, de que modo a fala em línguas teria sido um sinal de que Deus estava estendendo o evangelho a todas as nações e criando um novo livro através do Evangelho? 
Aquele sinal já tinha sido dado há 1900 anos. De que modo aquele sinal não foi completado inteiramente no primeiro século? Estas são as questões difíceis que todo pentecostal e carismático deve responder. Se alguém ainda replicasse que os judeus ainda precisam do sinal de línguas, perguntaríamos: “porque, então os movimentos pentecostais-carismáticos ignoraram quase inteiramente este aspecto das línguas?” Parham em Topeka e Seymorur em Los Angeles não buscaram as línguas como um sinal para Israel mas como sinal do “batismo pelo Espírito Santo”. O mesmo é verdadeiro para as Assembléias de Deus, e a Igreja de Deus da Profecia, e as Igrejas Pentecostais do Evangelho Quadrangular, e outras que você mencione.

“Alguém, depois de ler meu livro, me disse: ‘Para você tudo se resume a ser um sinal’. Claro que sim! Tome, por exemplo, uma placa de estrada com uma seta e letras sinalizando uma direção para uma cidade. Você pode discutir sobre o comprimento da placa, sua altura, sua forma, a cor, a fosforescência e o tamanho de suas letras, mas independente da precisão de seus comentários, é impossível negar o fato de seu propósito único e último é ser uma placa de estrada com setas e letras sinalizando direção a ser tomada. E assim é com o falar línguas. De todos os modos e ângulos que você possa olhar para ele, o Espírito Santo disse que isto foi um SINAL para Israel incrédula. Nessa questão e em outras pode-se ver que as regras do jogo não estão sendo seguidas (Fernand Legrand – Tudo sobre Falar em Línguas, p. 67).
 
Autor: David Cloud

Tradução: “
JEANNE RANGEL”  < jeannerangel@yahoo.com.br > (minha profissão é traduzir do inglês para o português, e vice-versa)


 


 

Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).

(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)

quinta 26 junho 2014 10:00 , em ESPAÇO BEREANO


COMPROVADO: O RELATO BÍBLICO SOBRE O REI DAVI É REAL- PARTE 3

Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, COMPROVADO: O RELATO BÍBLICO SOBRE O REI DAVI É REAL- PARTE 3

CONHEÇA A PRIMEIRA DESCOBERTA ARQUEOLÓGICA A DEIXAR CLARA A DIFERENÇA ENTRE O REI DAVI E, POR EXEMPLO, ROBIN HOOD: A ESTELA DE TEL DAN, UMA PROVA CABAL QUE, IRONICAMENTE, PODE TER SIDO DEIXADA PELOS INIMIGOS DE ISRAEL!

BUCK WILLIAMS


A Estela de Davi

 
Confirme-se e engrandeça-se o teu nome para sempre, e diga-se: O SENHOR dos Exércitos é o Deus de Israel, é Deus para Israel; e permaneça firme diante de ti a casa de Davi, teu servo.  1 Cr 17.24
 
 

 
Uma inscrição contendo a expressão "casa de Davi" foi encontrada numa chapa de pedra basalto preto, e recebeu o nome Estela de Tel Dan. Esta chapa é fragmento de uma grande inscrição encontrada em frente à cidade de Tel Dan, anteriormente chamada Tell el-Qadi, ao norte de Israel. Sob a direção de Avraham Biran, do Hebrew Union College, Jerusalem,  arqueologistas escavaram por mais e 20 anos quando o primeiro fragmento da inscrição de basalto foi descoberto em 1993, durante o projeto da restauração de um antigo portão.  No ano seguinte, 2 pedaços menores da inscrição foram encontrados. 
Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, COMPROVADO: O RELATO BÍBLICO SOBRE O REI DAVI É REAL- PARTE 4
A expressão 'Casa de Davi' em detalhe
 
 
No link abaixo você pode fazer um passeio virtual pelas ruínas dessa cidade.

http://www.3disrael.com/north/tel_dan.cfm

A largura do fragmento mede 32 x 22 cm, e a inscrição original tem treze linhas parcialmente preservadas e escritas em aramaico. É provável que as linhas 7-8  façam menção a dois reis de Israel e Judá, que reinaram entre 910 e 850 a.C: Jeorão, rei de Israel, e Asa, rei de Judá, referenciado na estela como rei da Casa de Davi.
 
Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, COMPROVADO: O RELATO BÍBLICO SOBRE O REI DAVI É REAL- PARTE 4
Ruínas de Tel Dan
 
A flecha do livramento
 
Essa época foi marcada por conflitos Síria-Israel, três vitórias foram profetizadas pelo profeta Eliseu conforme o texto bíblico de 2 Rs 13.14-19, que transcrevo na tradução Viva.
 
 
 
 
 
 
 
Quando Eliseu estava doente, passando muito mal, quase às portas da morte, o rei Jeoás foi fazer-lhe uma visita, e chorou ao ver o estado em que o profeta se encontrava. "Meu pai! Meu pai! O senhor é a força de Israel!" disse chorando. Eliseu disse ao rei:  "Pegue um arco e umas flechas," e ele fez isso. "Abra a janela que dá para o leste," disse o profeta. Disse ao rei para colocar a mão sobre o arco, e Eliseu colocou as suas sobre as mãos do rei."Atire!" ordenou Eliseu, e o rei atirou.Eliseu proclamou então: "Esta é a flecha do Senhor, vitoriosa sobre o rei da Síria; pois o rei conquistará completamente os sírios em Afeque.  Agora apanhe as outras flechas e atire-as contra o chão. " O rei apanhou as flechas e atirou três vezes contra o chão.  Mas o profeta ficou zangado com ele. "Devia ter atirado contra o chão cinco ou seis vezes," exclamou, "pois então teria ferido os sírios até que eles ficassem completamente destruídos: agora será vitorioso somente três vezes."
 

Embora a quebra da estela tenha criado sérios problemas históricos, este é um dos mais importantes escritos encontrados em Israel, e o primeiro texto não bíblico que menciona a casa de Davi por nome. Há esperança que mais fragmentos desta estela sejam descobertos em futuras escavações. Com esta importante descoberta fica claro que o rei Davi é uma figura real da história antiga, como Jesus também confirmou, por exemplo, no episódio abaixo, registrado em Mateus 12:

Naquele tempo passou Jesus pelas searas, em um sábado; e os seus discípulos, tendo fome, começaram a  colher espigas, e a comer. E os fariseus, vendo isto, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos fazem o que não é lícito fazer num sábado. Ele, porém, lhes disse: Não tendes lido o que fez Davi, quando teve fome, ele e os que com ele estavam?  Como entrou na casa de Deus, e comeu os pães da proposição, que não lhe era lícito comer, nem aos que com ele estavam, mas só aos sacerdotes? Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa? Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo. Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes. Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor.

FONTE:http://arqueologiabiblica-norma.blogspot.com.br/2010/11/estela-de-davi.html

Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, COMPROVADO: O RELATO BÍBLICO SOBRE O REI DAVI É REAL- PARTE 3


ESTELA DE TEL DAN
 

O primeiro fragmento "A" foi descoberto no mês de julho de 1993, e o segundo e terceiro fragmentos, o "B1" E "B2", que encaixavam no primeiro fragmento foram encontrados no ano seguinte. Este encaixe é meio incerto e muito discutido, mas se o ajuste estiver correto, então essas peças eram originalmente formadas lado a lado, conforme mostra a figura no final deste artigo.

O autor da descoberta desta estela foi o israelense Avraham Biran, que liderava uma equipe de estudiosos em Tel Dan,1 4 5 6 uma colina artificial na parte setentrional do moderno Israel. As escavações deste maior sítio arqueológico escavado em Israel começou no ano de 1966 e terminou no ano de 1994.7

Não há assinatura do autor da inscrição em nenhum dos 3 fragmentos da estela. O mais provável, segundo a maioria dos acadêmicos, é que o autor seja Hazael, rei de Damasco, ou um de seus filhos, Bar Hadad II ou Bar Hadad III, que foram reis de Damasco e inimigos do reino de Israel. Esta afirmação é plausíva, devido à linguagem em que a estela foi escrita, pelas circunstâncias, pela data e principalmente pelo local.

Esta inscrição foi datada, segundo os pesquisadores, nos sérculo IX e VIII antes da era cristã. A limitação do século VIII a.C é determinada pela camada de destruição que é identificada como uma bem documentada conquista assíria ocorrida em 733-732 a.C.. A camanda superior do sítio arqueológico de Tel Dan, que estava sob a camanda em que os fragmentos da estela foram encontrados, deixou evidenciado que nesta camanda inferior fora o lugar onde a estela foi erguida, e em seguida, quebrada em pedaços posteriormente pelos assírios ou pelos próprios hebreus, dando lugar a uma camada superior.

Texto da estela transliterado do aramaico

para o alfabeto hebraico:

1.[ ]א]מר.ע[ ]וגזר ]

2.[ ]אבי.יסק[.עלוה.בה]תלחמה.בא--- ]

3.וישכב.אבי.יהך.אל[.אבהו]ה.ויעל.מלכי[ יש]

4.ראל.קדם.בארק.אבי[.ו]יהלך.הדד[.]א[יתי]

5.אנה.ויהך.הדד.קדמי[.ו]אפק.מן.שבע[ת---]

6.י.מלכי.ואקתל.מל[כן.שב]ען.אסרי.א[לפי.ר]

7.כב.ואלפי.פרש.[קתלת.אית.יהו]רם.בר[אחאב.]

8.מלך.ישראל.וקתל[ת.אית.אחז]יהו.בר[יהורם.מל]

9.ך.ביתדוד.ואשם.[אית.קרית.הם.חרבת.ואהפך.א]

10.ית.ארק.הם.ל[ישמן ]

11.אחרן.ולה[… ויהוא.מ]

12.לך.על.יש[ראל… ואשם.]

13.מצר.ע[ל. ] 1 8


Tradução do texto acima para o português:

1. [.....................].......

[...................................] e cortou

[.........................]

2. [.........] meu pai foi [contra ele quando] ele

lutou em[....]

3. E meu pai deitou-se(morreu), e foi para seus [pais]. E

O rei de I[s-]

4. rael entrou previamente na terra de meu pai. [E]

Hadad me constituiu rei

5. E Hadad foi à minha frente [e] eu parti de

[os] sete[.....]

6. do meu reino, e eu matei [sete]nta rei[s], que

usavam milha[res de car]

7. ros e milhares de cavaleiros (ou cavalos). [Eu matei Jeo]rão filho de [Acabe]

8. Rei de Israel, e eu matei [Acaz]ías, filhos de

[Jeorão re]i

9. Da Casa de Davi. E eu tornei [suas vilas em

ruínas e tornei]

10. sua terra em [desolação........................]

11. outro ...

[........................................................

.................e Jeú gover]

12. nou sobre

Is[rael..................................................

....................e eu pus cerco]

13. sobre

[........................................................

....]1

Observação: A tradução do texto acima é de difícil compreensão para uma pessoa leiga, pois foram perdidas muitas palavras após a destruição da Estela e só foram encontrados 3 fragmentos, dificultando a compreensão. Mas é um texto muito interessante para os historiadores, epigrafistas, arqueólogos e teólogos que conhecem a história oriental.

As inscrições na Estela de Tel Dan podem ser comparadas com alguns acontecimentos registrado no Tanakh dos Judeus ou no Velho Testamento da Bíblia. No Livro II Reis(8:7-15) narra um fato acontecido antes do Rei Hazael de Aram, seu antecessor, em que estava muito doente e logo morre em sua cama.

Também no Livro II Reis(8:28) e II Reis(9:15-16) registra que Jorão de Israel foi estabelecido acima em Jizreel logo após ser ferido em combate em Ramote-Gileade.

Há duas menções na estela pelo escriba sírio: "Casa de Davi" e "Rei de Israel". Isso é frequentemente citado como prova de apoio para a monarquia Davídica. Porém, os críticos têm opinado e sugerido outras traduções de ביתדוד, geralmente baseando-se no fato de que pode ser pronunciado tanto como Davi e também como Dod("amado" em hebraico) ou formas conexas. A letra Vav(ו) do alfabeto hebraico tem duas funções sonoras: ela pode ser usada para representar a letra "w", um "o" ou "u" breves, ou seja, pode se escrever transliteradamente DWD, DoD ou DuD. Em 1999, Avraham Biran, o israelita que liderou a equipe de escavação da Estela de Tel Dan respondeu aos críticos dizendo: "As consoantes tem suas posições claramente: (beit-yod-tav-dalet-Vav-dalet). Qualquer epigrafista que observar a inscrição, afirmará claramente que é Beth David(Casa de Davi). É mencionado claramente "Rei de Israel", ninguém pode negar isso. Foi escrito por um rei Sírio que diz ter matado um rei de Israel; e afirma ainda que matou um rei da casa de Davi, rei de Judá. Aqueles que negam a evidência "casa de Davi" dizem que a palavra é DOD(que pode ser traduzido para, TIO, AMANTE, OU AMADO; ou mesmo DOAD, que é um grande navio."9 Nas antigas línguas de origem semítica era usado um ponto para dividir palavras compostas, no caso, a expressão "casa de Davi" poderia ter sido escrita como בית • דוד. O sírio responsável pela escrita na Estela de Tel Dan não empregou o divisor para a palavra ביתדוד.

Anson Rainey defendeu a leitura "Casa de Davi", afirmando que: Um divisor de palavras entre dois componentes de uma construção é frequentemente omitido, especialmente se a combinação é de um nome próprio.10

Gary Rendsburg afirma que a expressão é de origem aramaica; e que os sírios estavam referindo a um estado sírio, dizendo: Pode ser que os sírios estavam designando BYT HUMRI, ou seja, casa de Omri.11

Relato de Philip Davies: "Mas vamos deixar esta ilusão e retornar à crítica das seis letras, BYTDWD, para ver o que realmente pode significar. Evidentemente existem dois elementos verbais aqui, dos quais o primeiro é Beth, casa. Mas a probabilidade é que o segundo elemento termine em um nome de lugar, como Belém (Casa do Pão, na tradução correta) ou Belém (uma mera palavra, como é comumente escrito em letras latinas). Também uma minoria significativa considera que a leitura correta seja Bet Lachmu, (Casa do deus Lachmu), que é um popular (e verificado) deus local. Parece intrinsecamente mais provável que um lugar de nome composto com Beth seria escrito como uma palavra separada, ao invés de uma frase que signifique "Casa de Davi", referindo-se a dinastia de Davi. Esse nome pode ser um lugar chamado Beth-DoD (no caso do "w" servindo como vogal rudimentar. Ou mesmo pode ser utilizado para escrever a última sílaba da cidade de Ashdod dos filisteus) ou Bethdaud (apenas com uma pronúncia de uma vogal diferente). Todos esses nomes de lugares são sugestões bastante razoáveis … Existem outras possibilidades … Por exemplo, em uma inscrição contemporânea, a estela Messa ou a pedra moabita, a expressão «R'L DWDH (אראל דודה) aparece . A segunda palavra permanece um enigma. Alguns estudiosos, apesar de uma minoria, traduzem-o como "Davi" e encaram-o como o nome do fundador da dinastia de Judá, heh … Mas no final este sentido é improvável. O dawidum substantivo também é encontrada em um texto cuneiforme de Mari (século 18 a.C.), oferecendo uma outra possível pista, embora o significado deste termo permanece incerto. Na Bíblia, DWD pode significar "amado" ou "tio", e em uma outra tradução (1 Samuel 2:14), significaria "chaleira". Então, uma série de maneiras de compreender DWD se apresentam, a maioria delas muito mais plausíveis do que se traduzir para "Davi"."12

Resposta de Anson Rainey para Philip Davies" Em resposta à Davies faço um breve artigo com algumas observações. Davies representa o que ele e um círculo de colegas são, isto é, "desconstrucionistas" às abordagem das tradições bíblicas. O presente caso serve como exemplo útil do porque Davies e seus amigos "desconstrucionistas" serem ignorados pelos estudiosos da Bíblia e por historiadores de artigos orientais. Davies fez um trocadilho sobre a ausência do divisor entre os componentes BYT(casa) e DWD(Davi). Naveh e Birana13 não explicaram os detalhes da inscrição, talvez porque tinham como certo que os leitores soubessem que um divisor de palavras entre dois componentes de uma tal construção é frequentemente omitido, especialmente se a combinação é bem estabelecida como um nome próprio. Um exemplo bem conhecido de um nome composto de dois componentes é BL'M.BRB'B (Balaão, filho de Beor) na linha 4 da COMBINAÇÃO I da inscrição do Deir'Alla. Há um divisor de palavras entre esses dois componetes: BL'M (Balaâo) . BRB'B (filho de Beor); mas, no entanto, não se encontra um divisor entre BR (filho de) e B,R(Beor). O Patronímico do profeta Balaâo é composto de dois vocábulos. Este vocábulos são semitas na relação sintática conhecida como "construir". O Primeiro está intimamente ligado ao segundo, e assim então levaria o acento "em" na expressão filho de Beor, no qual não se encontra com o divisor. "A casa de Davi" era certamente um nome político e geográfico; e o primeiro componente BYT (casa), uma construção em forma significativa de (casa de) + o segundo componente DWD(Davi) foi redigida pelo escriba sírio como um nome importante. Não há nenhuma razão para duvidar da exatidão da Leitura (Casa de Davi) "14 15

Thomas L. Thompson argumentou que, mesmo se pudesse ser comprovados que os termos "Casa de Davi" ou "Casa de Omri" foram usados para descrever os reis de Judá e de Israel naquele tempo, não deveria-se concluir que viu-se a Davi e Omri como antepassados recentes e que tinha fundado dinastias no sentido moderno, outras interpretações da casa como "termo", neste contexo, são possíveis.16

George Athas propõe que os três fragmentos foram colocados numa posição errada. Ele argumenta que o fragmento A (maior) deve ser colocado bem acima dos fragmentos B1 e B2 (que se encaixam). Ele também sugere que ביתדוד é realmente uma referência à "casa de Davi", argumentando que é o equivalente em aramaico de "Cidade de Davi". Athas também fornece evidências para a autenticidade dos fragmentos, mas propõe a autoria à Bar Hadad e não ao seu pai, Hazael.17

John T. Willis"A parte preservada da inscrição descoberta em Tel Dan é clara e, na sua maior parte, fácil de traduzir. Seu autor é um rei arameu, que está evidentemente comemorando sua vitória sobre o rei de Israel e seu exército. A inscrição(bytdwd⇒ casa de Davi) é provavelmente uma referência a dinastia de Judá. Até agora, as sugestões menos convincentes são de que "bytdwd(na linha 9.)" não signifique (Casa de Davi). Assim sendo, esta descoberta em Tel Dan contém a única referência da Monarquia Davidica fora do Antigo Testamento. Apesar que Puech e Lemaire, também dizem ter encontrado uma escrição (Casa de Davi) na Incrição Mesha (linha 32 lê-se "bt[d]wd"), que data de alguns anos após da Estela de Tel Dan.18

 

A opinião minoritária sobre a inscrição DWD (Davi) é que na verdade é uma referência a Thoth(pronunciada, de acordo comos gregos antigos, como Tut - como em Tutmés), portanto, segundo eles pode se referir a um templo de Thoth. Mas o egiptólogo Kenneth Kitchen assinala que não há nenhum templo de Thoth conhecido na área. Outros acreditam que ביתדוד se refere a uma localização geográfica desconhecida.19

Kenneth Kitchen: "A acusação de falsificação é uma calúnia infundada contra a expedição em Tel Dan, sem uma partícula de fundamento e sem fatos"19

William G. Dever:  "No lado positivista da controvérsia, a respeito da autenticidade da inscrição, temos agora publicado os pareceres, por maioria dos Líderes epigrafistas em geral (todos eles são trabalhadores do campo, com muita experiência em arquelogia bíblica e nenhum dos quais é de Academia Biblista) sustentam que a inscrição dos meios é exatamente o que se diz: Casa de Davi. No lado negativista, temos a opinião de Thompson,16 Lemche e Cryer da Escola de Copenhagen. Cabe aos leitores escolher."20

A combinação dos 3 fragmentos]]De acordo com a maioria dos acadêmicos, o fragmentos A é colocado à direita, o fragmento B1 fica à esquerda do fragmento A e o fragmento B2 localiza-se logo abaixo do fragmento B1.

A combinação dos 3 fragmentos]]De acordo com a maioria dos acadêmicos, o fragmentos A é colocado à direita, o fragmento B1 fica à esquerda do fragmento A e o fragmento B2 localiza-se logo abaixo do fragmento B1.

FONTE(COM TODA A BIBLIOGRAFIA

PRESENTE.): http://pt.wikipedia.org/wiki/Estela_de_Tel_Dan

EDIÇÃO E REVISÃO: BUCK WILLIAMS

sexta 20 junho 2014 00:08 , em DEFESA DAS ESCRITURAS SAGRADAS


AFINAL DE CONTAS, QUAL IGREJA DESCENDE DIRETAMENTE DO GRUPO FORMADO PELO SENHOR JESUS?- PARTE 4

Blog de unidoscontraomundo : UNIDOS CONTRA O MUNDO, AFINAL DE CONTAS, QUAL IGREJA DESCENDE DIRETAMENTE DO GRUPO FORMADO PELO SENHOR JESUS?- PARTE 4

 

CAP 4 - "O RASTO DE SANGUE"

CAPÍTULO III

1400 ! 1600 A. D.
  1. Os séculos 15o ,16o e 17o são dentre todos os mais acidentados na história do mundo, e especialmente na história do Cristianismo. Houve uma quase que continua revolução dentro da Igreja Católica - tanto na Grega como na Romana - procurando uma reforma. Este despertar das consciências há muito adormecidas, o desejo de uma reforma genuína, começou realmente no século 13, ou possivelmente, um pouco antes. A História certamente parece indicar isto.
  2. Voltemos um pouco. A Igreja Católica por seus muitos desvios do Novo Testamento, suas muitas estranhas e cruéis leis e por seu estado moral desesperadamente decaído e suas mãos e roupas manchadas com o sangue de milhões de mártires, tomou-se repreensível e dolorosamente repulsiva a muitos dos seus próprios adeptos, que eram muito melhores que seus próprios sistemas, leis, doutrinas e práticas. Vários de seus mais destemidos, melhores e mais espirituais sacerdotes e demais líderes, um por um, procuraram sinceramente reformar muitas de suas mais censuráveis leis e doutrinas e fazê-la voltar, o quanto antes, ao nível dos ensinos do Novo Testamento. Vamos dar alguns exemplos indiscutíveis. Notemos, não somente onde e quando começa e até que ponto vai o fogo da reforma, mas notemos também os seus lideres. Os lideres eram, ou tinham sido, todos sacerdotes católicos ou oficiais do clero. Havia, portanto, um pouco de bom entre o muito mal. Contudo, por esse tempo, provavelmente não havia nenhuma única doutrina do Novo Testamento observada?sua pureza original - mas notemos agora alguns reformadores e onde trabalhavam.
  3. É bom observar, todavia, que nos vários séculos anteriores a esse grande período de reforma, havia um número de importantes caracteres que se rebelaram contra os terríveis excessos do catolicismo e sinceramente procuraram permanecer leais à Bíblia - mas um rasto de sangue foi tudo o que deles ficou. Vamos estudar, por um momento, o período mais importante - o da Reforma.
  4. De 1320 a 1384 viveu na Inglaterra um homem que atraiu a atenção de todo o mundo. Seu nome era João Wycliff. Foi ele o primeiro dos destemidos que tiveram a coragem de intentar uma real reforma dentro da Igreja Católica. A História refere-se a ele varias vezes, como a "Estrela d'Alva da Reforma". Viveu uma vida sincera e frutífera. Precisaríamos, sem dúvida, escrever vários volumes para contar de algum modo a historia de João Wycliff. Ele foi odiado, terrivelmente odiado, pelos lideres da hierarquia. Sua vida foi persistentemente buscada. Finalmente morreu paralítico. Anos depois, era tão grande o ódio católico para com ele, que seus ossos foram desenterrados, queimados e as cinzas lançados às águas.
  5. Seguindo bem de perto as pegadas de Wycliff veio João Huss, 1373-1415, um distinto filho da longínqua Boêmia. Sua alma correspondeu ao sentimento da brilhante luz da "Estrela d'Alva da Reforma". Sua vida foi destemida e cheia de eventos, mas dolorosa e miseravelmente curta. Ao invés de despertar um ambiente favorável a uma verdadeira reforma entre os católicos, ele despertou medo, aversão e oposição, que resultaram na sua morte amarrado a um poste e queimado - um mártir entre os seus. Todavia, ele procurou o bem de seu próprio povo. Amou o seu Senhor e o seu povo. Todavia, ele foi apenas um entre os milhões que morreram por essa causa.
  6. Depois de João Huss da Boêmia, veio um maravilhoso filho da Itália, o mui eloqüenteSavanarola,. 1452-1498. Huss foi queimado em 1415 e Savanarola nasceu 37 anos depois. Ele como Huss, ainda que católico devoto, encontrou os lideres de seu povo - povo da Itália - como os da Boêmia, contrários a qualquer reforma. Mas por sua eloqüência poderosa, foi bem sucedido no despertar de algumas consciências e assegurou um considerável número de seguidores. Uma reforma real, porém, na hierarquia significava ruína absoluta para os superiores desta organização. Assim, Savanarola, tão bom quanto Huss, devia morrer. E também ele foi amarrado num poste e queimado. Dos homens eloqüentes desse grande período, Savanarola, possivelmente, a todos suplantava. Não obstante lutava contra uma organização poderosa e sua « existência reclama que combatessem a reforma, e desta forma Savanarola devia morrer.
  7. Naturalmente, muitos nomes de reformadores desse período têm sido deixados. Só os mais proeminentes na História são aqui mencionados. Seguindo a Savanarola, a "voz de ouro da Itália", vem um líder da Suíça. Zwingli nasceu antes da morte de Savanarola. Viveu de 1484 a 1531. O espírito da Reforma alastrava por toda a terra. Seu fogo abria caminho e espalhando-se muito rapidamente, tornou difícil refreá-lo. O fogo ateado por Zwingli não tinha sido senão parcialmente sufocado e já um mais sério que todos os outros irrompera na Alemanha. Zwingli morreu na batalha.
  8. Martinho Lutero - provavelmente o mais importante de todos os reformadores do 15o e 16o séculos, viveu de 1483 a 1546, e como se pode ver pelas datas era quase contemporâneo de Zwingli. Nasceu 1 ano antes de Zwingli e viveu 15 anos mais. Seus grandes predecessores tornaram-lhes mais fácil o caminho que devera trilhar, talvez muito mais do que encontramos registrado na História. Além disso, Lutero aprendeu pela dura experiência deles, bem como das que ele próprio teve mais tarde, que uma verdadeira reforma no seio da Igreja Católica seria claramente impossível. Assim mesmo, muitas .medidas reformatórias seriam necessárias. Uma exigia outra e outras exigiam ainda outras e assim por diante.
  9. Assim, Martinho Lutero, depois de ter tido muitas e difíceis batalhas com os líderes do Catolicismo foi auxiliado por Melancton e outros proeminentes alemães, tornando-se em cerca de 1530 o fundador de uma organização cristã inteiramente nova, agora conhecida por Igreja Luterana, que se tornaria em breve a Igreja da Alemanha. Esta foi a 1a das novas organizações a sair diretamente de Roma, renunciando toda lealdade à Igreja Mãe (como é chamada) para continuar a viver.
  10. Deixando por um pouco a Igreja da Inglaterra, que teve seu começo logo depois da luterana, seguiremos a Reforma no continente. De 1509 a 1564 viveu outro dos maiores reformadores. Era João Calvino, um francês, mas que parecia ao mesmo tempo ter vivido na Suíça. Era um homem realmente poderoso. Foi contemporâneo de Martinho Lutero por 30 anos, e tinha 22 anos quando Zwingli morreu. Calvino é apontado como fundador da Igreja Presbiteriana. Alguns historiadores, contudo, admitem Zwingli se bem que as mais fortes evidências favoreçam a Calvino. Indiscutivelmente o trabalho de Zwingli, tanto quanto o de Lutero, tornou muito mais fácil o trabalho de Calvino. Data de 1541, exatamente 11 anos (parece ser esse ano) depois da fundação da Igreja Luterana por Lutero, o início da Igreja Presbiteriana. Esta igreja, como no caso do Luteranismo, foi conduzida por um sacerdote ou oficial, que era católico reformado. Este seis - Wycliff, Huss, Savanarola, Zwingli, Lutero e Calvino, grandes líderes em suas batalhas para a reforma, feriram o catolicismo até o tornar cambaleante.
  11. Em 1560, 19 anos depois da 1a organização Calvinista em Genebra, Suíça, João Knox, discípulo de Calvino, estabeleceu a 1a Igreja Presbiteriana na Escócia, e justamente 32 anos depois, em 1592, o Presbiterianismo tornou-se ali a religião de Estado.
  12. Durante todas essas difíceis lutas da Reforma, contínuo e valoroso auxílio foi dado aos Reformadores por muitos anabatistas, ou qualquer outro nome que levavam. Esperando algum alívio para sua dura sorte, eles saíram de seus esconderijos e lutaram corajosamente com os reformadores; todavia, eles estavam condenados a um medonho desapontamento. Haviam de ter, desde então, mais dois inimigos a persegui-los. Tanto a Igreja Luterana como a Presbiteriana trouxeram da sua mãe, a igreja Católica, muitos de seus males, entre os quais a idéia de uma Igreja do Estado. Ambas tornaram-se igrejas ligadas ao Estado. Ambas tomaram gosto na perseguição, faltando pouco, se alguma coisa faltava, para igualar-se à Mãe Católica.

 

"O RASTO DE SANGUE"

Triste e medonho era o destino desses grandes sofredor", os Anabatistas. O mundo de então não oferecia sequer um lugar onde eles se pudessem esconder. Quatro temíveis perseguidores estão agora furiosos em seu rasto. Na verdade seu caminho era um Rasto de Sangue .

  1. Durante o mesmo período, em realidade vários anos antes que os Presbiterianos, levantou-se mais uma nova denominação, não no continente, mas na Inglaterra. Contudo, ela surgiu não tanto como Reforma (ainda que evidentemente a facilitasse) mas como conseqüência de verdadeira divisão ou cisão nas fileiras católicas. Semelhante à divisão em 869, quando os católicos do Leste separaram-se dos do Oeste e se tornaram conhecidos na História como Igrejas Católicas Grega e Romana. Esta nova divisão surgiu mais ou menos assim. 

    Henrique VIII, rei da Inglaterra, casou-se com Catarina da Espanha. Infelizmente, depois de algum tempo, surgiram algumas dificuldades amorosas, porquanto ele se apaixonara por Ana Bolena. Por isso Henrique queria divorciar-se de Catarina e casar-se com Ana. Obter o divórcio naquele tempo não era coisa fácil. Somente o Papa poderia concedê-lo e, nesse caso, por razões especiais, o recusou. Henrique ficou num grande apuro. Sendo rei, sentiu que devia ter autoridade para seguir sua própria vontade no assunto . Seu 1oministro (a esse tempo Thomas Cromwell) chegou a zombar do rei. Por que se submete à autoridade papal em tais questões? Henrique seguiu a sua sugestão, retirou-se de sob a autoridade do Papa e fez-se chefe da Igreja da Inglaterra. Começa, desse modo, a nova Igreja da Inglaterra. Isto se consumou em 1534 ou 1535. Nesse ocasião não houve mudança na doutrina, mas simplesmente, uma renúncia à autoridade papal. Henrique nunca se tornou realmente protestante de coração. Morreu na fé católica.
  2. Esse rompimento, finalmente, resultou em várias e consideráveis mudanças, ou reformas. Uma reforma dentro da Igreja Católica e sob a autoridade papal, como no caso de Lutero e outros tinha sido impossível até então, mas tornou-se possível depois desta divisão. Granmer, Latimer, Ridley e outros realizaram algumas notáveis mudanças. Contudo, eles e muitos outros pagaram o preço de sangue por tais mudanças, pois poucos anos mais tarde, Maria, "Maria Sanguinária", uma filha da divorciada Catarina, subiu ao trono da Inglaterra e levou a nova igreja a submeter-se ao domínio papal, novamente. Esta temível e terrível reação terminou com os tenazes e sanguinários 5 anos do seu reinado. Enquanto as cabeças caíam de sob o sanguinário machado de Maria, a sua acompanhou-as. O povo havia adquirido, no entanto, um pouco de gosto pela liberdade, e então, quando Elizabete, a filha de Ana Bolena, tornou-se rainha, a Igreja da Inglaterra novamente renunciou o poder do papa e foi restabelecida.
  3. Desse modo, antes de findar o século 162, havia já 5 igrejas estabelecidas - igrejas oficializadas pelos governos civis: Católica Romana e Grega, contadas como duas; depois a Igreja da Inglaterra; a Luterana ou da Alemanha; e a Igreja da Escócia, agora conhecida como Presbiteriana. Todas elas foram pródigas em seu ódio e perseguição aos povos chamados Anabatistas, Waldenses e outras igrejas separadas do Estado, igrejas que nunca, de modo algum haviam tido relação com a Igreja Católica. O grande auxílio dos Anabatistas nas pelejas em prol da Reforma foi esquecido ou estava sendo então totalmente ignorado. Milhares deles, incluindo mulheres e crianças, pereciam cada dia, como resultado de intermináveis perseguições. A grande esperança despertada e inspirada pela Reforma transformou-se em uma sangrenta desilusão. O remanescente deles encontrou um incerto refúgio nos Alpes amigos e em outros lugares escondidos do mundo.
  4. Essas 3 novas organizações, separadas ou saídas da Igreja Católica, retiveram muitos dos seus erros mais prejudiciais entre os quais os seguintes:
  • governo eclesiástico da Igreja (diferente na forma).
  • Igreja oficializada (Igreja e Estado unidos).
  • Batismo infantil.
  • Batismo por aspersão ou ablução.
  • Regeneração batismal (algumas pelo menos, e outras, se muitos dos seus historiadores podem ser acreditados).
  • Perseguições (ao menos por alguns séculos).
  1. No começo todas essas Igrejas oficializadas perseguiram urna às outras, bem como às demais, até que num concílio realizado em Augsburgo em 1555, um tratado de paz, conhecido como a "Paz de Augsburgo" foi assinado entre católicos de um lado e luteranos de outro, concordando em não se perseguirem mais. Deixem-nos sós e nós os deixaremos sós também. Para os católicos, o lutar contra os luteranos significava guerra com a Alemanha, e para os luteranos, lutar ou perseguir os católicos significava guerra com todos os países onde o catolicismo predominava.

 

"O RASTO DE SANGUE"
  1. Mas as perseguições não cessaram. Os odiados Anabatistas (hoje chamados batistas) a despeito de todas as perseguições anteriores, e a despeito do terrível fato de que 50 milhões já haviam sido martirizados, ainda existiam em grande número. Foi nesse mesmo período que ao longo de uma só estrada n a Europa, numa distancia de 56 quilômetros, encontravam-se de espaço em espaço, postes pontiagudos, no topo dos quais era colocada uma cabeça ensangüentada de um mártir Anabatista. A imaginação humana não pode retratar uma cena tão terrível. E ainda uma coisa perpetrada, de acordo com a história verossímil, por um povo que se chamava devoto seguidor do meigo e humilde Jesus Cristo
  1. Lembremo-nos que os católicos não consideram a Bíblia como a única regra de fé e prática. Eles a admitem como verdadeiramente infalível, mas há duas outras coisas igualmente certas para eles: os "Escritos dos Pais" e os decretos da Igreja (Igreja Católica) ou as declarações infalíveis do Papa.

    Desse modo, nunca poderia haver um debate satisfatório entre católicos e protestantes, ou entre católicos e batistas, como também nunca seria possível haver uma base de acordo final. A Bíblia, para os católicos não pode sozinha decidir coisa alguma.
  2. Tomemos corno exemplo a questão do "Batismo" e autoridade final para o ato e para aforma. Eles admitem que a Bíblia indiscutivelmente ensina o batismo e que Ela ensina aimersão como única forma. Mas entendem ao mesmo tempo que a infalível Igreja teve perfeito direito de mudar a forma de imersão para aspersão, mas que os outros não têm esse direito ou autoridade que pertence somente à autoridade infalível do Papa.
  3. O leitor estará notando por certo, e com surpresa talvez, que eu esteja fazendo muito poucas citações. Estou esforçando deveras por dar aos leitores em pequeno espaço o que houve de importante e essencial em 20 séculos de história religiosa.
  4. Cabe justamente aqui uma palavra com referência à Bíblia, durante esses séculos tenebrosos. Lembremo-nos que a Bíblia não era ainda impressa e mesmo não havia papel onde pudesse ser escrita, ainda mesmo que a imprensa tivesse sido inventada. O material usado para escrever constava de pergaminhos, que era extraído de peles de cabras ou de carneiros, e papiros, que constava de polpas te algumas espécies de madeira. Assim, para se imprimir um livro do tamanho da Bíblia nesse material em caracteres de punho escritos com estiletes em lugar de penas (como usamos hoje) seria por certo um enorme volume, talvez maior do que o que algum homem pudesse carregar. Não havia, então, mais do que 30 Bíblias completas em todo o mundo. Eram encontradas muitas porções ou livros da Bíblia, como Mateus, Marcos, Lucas, João, Atos ou algumas das Epístolas ou Apocalipse ou mesmo livros do Velho Testamento. Sem dúvida que um dos maiores milagres em toda a história do mundo - segundo o meu modo de pensar - é a união de pensamento e crença do povo de Deus, no que respeita aos princípios essenciais e vitais do Cristianismo. Naturalmente, que a única explicação para isso está em Deus. Isto nos faz sentir agora como é glorioso o fato de possuirmos um exemplar completo da Bíblia, cada uma na sua própria língua.
  5. Seria igualmente proveitoso que pensássemos de um modo especial, sobre um outro fato vital em relação à Bíblia. Ele já foi ligeiramente mencionado em capitulo anterior a este, mas é de tal maneira vital que julgamos prudente repeti-lo aqui. Referimo-nos à atitude tomada pelos católicos no concilio de Toulose, realizado em 1229 A.D., quando decidiram recusar a Bíblia, a Palavra de Deus, aos "leigos", que constituíam a vasta maioria dos católicos. Estou apresentando aqui exatamente o que eles decidiram no seu grande concílio. Recentemente um católico disse-me em particular: "Nosso propósito nisto éimpedir a interpretação particular dela". Não é realmente interessante, que Deus tenha escrito um livro para o povo, mas que o tenha feito de tal maneira que ao próprio povo seja vedado le-lo: E, ainda mais, sabendo-se que no dia do juízo a justificação ou condenação do povo será baseada na obediência aos ensinos desse livro. Não se maravilhe, pois, da declaração contida no livro: "Examinais as Escrituras porque vós cuidais ter nelas a vida eterna e são elas que de mim testificam. João 5:39). Tremenda é a responsabilidade assumida pelos católicos.

 Autor: J. M. CARROLL 
Fonte: www.palavraprudente.com.br

quinta 19 junho 2014 19:58 , em MÁRTIRES DO PASSADO


|

Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para unidoscontraomundo

Precisa estar conectado para adicionar unidoscontraomundo para os seus amigos

 
Criar um blog